O Fluminense venceu o Corinthians por 1 a 0, em jogo marcado por falha grosseira de Cássio em chute de Paulo Henrique Ganso, artilheiro solitário da tarde de hoje (15), no estádio Mané Garrincha, em Brasília, pela última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. O resultado põe fim a uma invencibilidade de 14 jogos da equipe paulista, que não perdia desde a pausa para a Copa América.

Com a vitória, o Fluminense deixa a zona de rebaixamento. Agora com 18 pontos, o Tricolor ultrapassa o Cruzeiro por ter uma vitória a mais e pula da 17ª para a 16ª posição. O Corinthians, com um ponto conquistado dos últimos seis disputados, foi ultrapassado pelo Internacional e caiu da quarta para a quinta posição. A equipe ainda poderia ter perdido mais uma colocação não fosse o tropeço do São Paulo em casa diante do CSA.

O Fluminense volta a campo apenas no próximo domingo, às 19h, contra o Goiás, no Serra Dourada, pela 20ª rodada do Brasileirão. O Corinthians, por sua vez, tem desafio eliminatório contra o Independiente del Valle, do Equador, quarta-feira, às 21h30, na Arena Corinthians, pela ida das semifinais da Copa Sul-Americana. A retomada do Brasileirão está agendada contra o Bahia para a noite de sábado, às 19h, também em Itaquera.

Experiência de Ganso e Nenê decide para o Flu

Destacaram-se positivamente em Brasília os experientes Ganso e Nenê. O primeiro foi quem decidiu o jogo arriscando chute de fora da área. Antes, o camisa 77 havia “tirado tinta” do travessão de Cássio. Os dois foram de suma importância também para o Fluminense prender a bola no campo de ataque.

Falha de Cássio custa resultado ao Corinthians

Em tarde na qual nenhum corintiano se destacou positivamente, Cássio levou a pior em comparação aos colegas de time por conta da falha grosseira no lance do gol do Fluminense. Em jogo de poucas chances claras para ambas as equipes, o goleiro, quando exigido, não conseguiu segurar bola relativamente fácil chutada por Ganso.

Flu estuda rival, e Oswaldo contra-ataca Carille

Ciente da limitação técnica de sua equipe, Oswaldo de Oliveira postou em campo um Fluminense inicialmente preparado para contra-atacar. Conforme a defesa foi entendendo o padrão de ataque do Corinthians, os laterais Gilberto e Caio Henrique ganharam liberdade para povoar o meio de campo.

A partir do momento em que o Fluminense assumiu a posse de bola da partida, foi incomodando na frente até que achou o gol, mesmo sem criar chances claras. A qualidade no toque de bola de nomes como Nenê e Ganso deu vida a um ataque que pouco produziu de útil no que dependeu de Yony González e João Pedro.

Cabe ainda destacar: quando voltava a se postar para contra-atacar, o Fluminense sofria principalmente com as subidas laterais do Corinthians.

Corinthians parou no (curto) tempo em que dominava

Mesmo jogando como visitante em Brasília, o Corinthians tentou tomar a iniciativa. Diante de um adversário frágil tecnicamente, Júnior Urso se postou mais à frente, dando liberdade a Pedrinho pela direita. Em contrapartida, Gabriel ficou sozinho à frente dos zagueiros para contenção de eventuais ataques tricolores.

O incisivo início de jogo do Corinthians durou pouco. Mas o buraco no meio de campo seguia mesmo quando o Fluminense já era quem mais marcava presença no ataque. O resultado foi Paulo Henrique Ganso completamente livre justamente no lance que culminaria no gol tricolor.

A partir daí, faltou poder de reação à equipe comandada por Fábio Carille. Em poucos minutos, o Corinthians foi “manjado” e consequentemente anulado pelo Fluminense. Era preciso mais que levantadas aleatórias de bola na área para chegar às redes de Muriel.

Antes da falha, Cássio deu susto com bolada no rosto

Pouco antes do início da partida, Cássio deu um susto na comissão técnica do Corinthians. Durante o aquecimento das equipes no Mané Garrincha, o goleiro do Timão levou uma bolada no rosto, recebeu atendimento no próprio gramado e retornou ao vestiário como dúvida para o jogo. No fim das contas, nada de grave foi diagnosticado pelos médicos alvinegros, e o camisa 12 jogou normalmente. Walter era o arqueiro reserva em Brasília; o jovem Caíque, que reveza entre os suplentes, ficou em São Paulo.

Cronologia do jogo

Após alguns ataques perigosos do Corinthians ainda nos minutos iniciais da partida – com destaque a um cabeceio de Gil na trave -, o primeiro tempo no Mané Garrincha se desenrolava de forma tão lenta e sem inspiração que até Cássio parecia “desligado”. Foi nesse contexto que o Fluminense achou seu gol com chute de fora da área de Paulo Henrique Ganso, aos 39 minutos. Ele recebeu em liberdade após Gabriel falhar na tentativa de interceptação, teve espaço para girar e, de frente para meta, arriscou a finalização. O goleiro do Timão tentou encaixar a bola nos braços, falhou e viu a bola entrar.

A falta de chances claras de gol que marcou o primeiro tempo foi capítulo repetido para a etapa complementar. Nem mesmo a ausência de volantes do Corinthians, que perdeu Gabriel e Urso para as entradas de Vagner Love e Jadson, resultou em grandes oportunidades para o Timão – ou para o próprio Fluminense.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 1 x 0 CORINTHIANS

Data: 15 de setembro de 2019 (domingo)
Horário: 16h (de Brasília)
Local: estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Árbitro: Jean Pierre Goncalves Lima (RS)
Assistentes: Jose Eduardo Calza e Leirson Peng Martins (ambos RS)
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)
Público/Renda: 15.733 presentes / R$ 1.444.560,00
Cartões amarelos: Muriel, Gilberto, Nino, Yuri e Oswaldo de Oliveira (Fluminense); Júnior Urso (Corinthians)
Gol: Ganso, aos 39′ do primeiro tempo.

Fluminense: Muriel; Gilberto, Nino, Digão e Caio Henrique; Yuri (Dodi), Allan (Frazan), Nenê, Ganso (Pablo Dyego) e Yony González; João Pedro. Técnico: Oswaldo de Oliveira

Corinthians: Cássio, Fagner, Bruno Méndez, Gil e Carlos Augusto; Gabriel (Vagner Love), Júnior Urso (Jadson), Pedrinho, Mateus Vital e Janderson; Gustagol (Boselli). Técnico: Fábio Carille

Let’s block ads! (Why?)